Gays solteiros procuram namoro!


Dado curioso e até mesmo faz sentido: no dia de hoje, dia dos namorados, a string que trouxe mais visitas para o Blog MVG foi “namorados gays” e derivados como “gays namoro”, “namoro gay”, entre outros nas possibilidades possíveis de mesclar essas duas palavras.

E na prática? “Gay” e “relacionamento” é possível mesclar?

Até o presente momento o Blog chegou em suas 270 visitas no dia e contabilizando até a meia noite. Quanto dessas quase 300 pessoas, a fundo, no íntimo não procuram por um outro homem gay, jovem gay ou garoto gay para compartilhar momentos românticos ou íntimos nessa data mundialmente reconhecida, socialmente estabelecida?

Os gays definitivamente querem namorar! ;)

Será que querer namorar um homem gay é um surto coletivo apenas do dia dos namorados? Creio que não. Mas faz todo sentido esse desejo se intensificar no dia de hoje provando que nos rendemos a alguns ou muitos modelos sociais que, inclui sem sombra de dúvidas, datas comemorativas como o dia dos namorados. Ou seja, o sentimento que nos envolve e que gera imaginários no dia de hoje não diz respeito a sexualidade e é universal.

Essa data que libera desejos de muitos, ódio de outros, expectativas, sonhos e vontades em diversos homens gays (por mais que no grupinho social o gay omita) tem um significado muito óbvio mas que os moderninhos e descolados evitam pronunciar: A-M-O-R.

Não há sentimento mais decifrável ou indecifrável, oculto ou claro, óbvio ou complexo que esse sentimento transmite para as pessoas. E independentemente da extensão dessa palavra, homens heterossexuais, gays, lésbicas, transgêneros, transexuais, bissexuais, de todas as raças e do mundo todo devem se render pelo menos uma vez para o amor. Essa é uma dica fundamental e se você é um gay que chegou na vida adulta e não se permitiu a amar, começa a perder seu tempo! ;)

Amor, sim, é redenção. É abaixar a guarda, é auto-permissão. É não julgar e nem ser julgado somente pelas aparências, é colocar para fora o que está guardado do lado de dentro. Amor não tem a ver com feminilidade ou masculinidade. Amor, se é que pode-se traduzir, tem a ver exclusivamente com humanidade. Humanidade está acima de qualquer valores morais, políticos ou sociais.

Quando amamos nos permitimos HUMANIZAR. Tirar um pouco das máscaras, dos medos, da preocupação da rejeição e se entregar num envolvimento que não exige competição de egos, nem vaidades, muito menos extravagâncias. Amor é simples e pede para simplificar. Amor tem a ver com simplicidade. Da simplicidade do que somos, mesmo adultos, ou jovens sedentos para descobrir o amor.

Amor vai além de religiões, de trabalho, de imagem, de etnias ou crenças. Vai além das condições financeiras ou das potências materiais. Amor é uma conexão direta de um ser humano com outro ser humano que não precisa de “benção” da sociedade.

Amar se revela além de qualquer julgamento.

Mas não teria muitas palavras para explicar o que é amar, senão essas. Ter alguém para dizer “te amo” muda bastante coisa dentro da gente.

Que coisa?

Tem caras, grandes caras, que são muito mais capazes de traduzir:

Uma noite de amor compartilhado para todos. Mas se não rolar, lembre-se de amar a si sem arrogâncias e narcisismos. =)

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s